Siga-nos nas Redes Sociais

Facebook YouTube

  

Notícias

Arquivo de março de 2010

Pró-Menino

Fundação Telefônica capacita professores da rede pública sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente

A partir de 02 de abril, a Fundação Telefônica vai capacitar, através do Portal Pró-Menino (www.promenino.org.br), cerca de 2.500 professores da rede pública a respeito do ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente. É a segunda vez que o curso online, denominado ECA na Escola, é oferecido aos educadores de escolas ligadas ao Programa Mais Educação, do Ministério da Educação. No ano passado, 1.200 professores puderam participar da capacitação, que é gratuita e tem carga-horária de 42 horas.

A realização do curso é possível graças à parceria firmada entre a Fundação Telefônica, o Ministério da Educação, a Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH), o Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor), da FIA – Fundação Instituto de Administração, responsável pela certificação do curso. Desta vez, também professores da rede pública do Estado de São Paulo poderão participar da capacitação.

A temática dos direitos da criança e do adolescente será composta por seis módulos, que incluem a elaboração de um projeto de aplicação prática do conteúdo pelo participante na escola em que atua. A aula inaugural estará a cargo de Miguel Arroyo, professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, e de Benedito dos Santos, secretário executivo do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda). Outros grandes especialistas conduzirão aulas durante o curso, como o pedagogo Antonio Carlos Gomes da Costa, que participou do grupo de redação do ECA.

O Portal Pró-Menino é uma iniciativa da Fundação Telefônica que busca contribuir para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes, por meio da disseminação da informação, do apoio a organizações que lidam com esta temática e da sensibilização da população em geral. A gestão executiva é do Ceats/FIA e conta atualmente com cerca de 150 mil visitantes por mês.

Sobre a Fundação Telefônica

A Fundação Telefônica gerencia a maior parte da Ação Social e Cultural do Grupo Telefônica no mundo, demonstrando o compromisso da empresa com as sociedades junto às quais atua. A instituição está presente na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, México, Peru e Venezuela e também desenvolve programas junto a operadoras locais da Telefônica no Equador, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá e Uruguai. No Brasil, foi criada em 1999 e atua para o desenvolvimento social, através da consolidação dos direitos das crianças e dos adolescentes. Desde o início de sua atuação, mais de 500 mil pessoas já foram beneficiadas direta ou indiretamente pelos projetos que desenvolve, por meio dos programas EducaRede,  Pró-Menino, Arte e Tecnologia e Voluntários Telefônica.

mais notícias
Fundação Telefônica

Fundação Telefônica apresenta diagnóstico social e da criminalidade em Suzano

A Fundação Telefônica, em parceria com o Instituto Sou da Paz e o Instituto Papel Solidário, apresentou hoje à Prefeitura de Suzano um diagnóstico social e da criminalidade no município. O levantamento foi realizado durante o segundo semestre do ano passado, no âmbito do projeto Ação na Linha, que vem sendo implementado na região do Alto Tietê, com o objetivo de promover o desenvolvimento comunitário e prevenir a violência, em especial o furto de cabos.

O diagnóstico se dispôs a mapear os principais problemas de violência no município, com ênfase na dinâmica do furto de cabos telefônicos na cidade, em especial na região Norte do município (bairros Miguel Badra, Cidade Boa Vista e Jardim Revista). Esses bairros foram escolhidos para o foco do diagnóstico por apresentarem alto índice de furto de cabos, grande vulnerabilidade social e elevados índices de violência.

Assim, foi feita uma análise mais aprofundada das atividades desenvolvidas na região Norte, incluindo o perfil dos atendidos por projetos sociais e equipamentos públicos, iniciativas bem sucedidas realizadas na região, as dinâmicas e necessidades específicas da localidade, bem como o mapeamento dos pontos mais críticos de furtos de cabos. O relatório aponta os fatores estruturais que favorecem o crime: falta de iluminação pública ou asfalto, difícil acesso, mato alto e pouca circulação de pedestres.

O diagnóstico assinala algumas ações que podem contribuir para a prevenção e redução do furto de cabos. Entre elas, estão: maior fiscalização dos ferros-velhos com relação à procedência do cobre; incentivo a alternativas de geração de renda com materiais reciclados junto a catadores; apoio a cooperativas; divulgação dos impactos do furto, para conscientizar e sensibilizar as pessoas sobre os danos que a impossibilidade de comunicação pode causar; e inserção do tema nas reuniões do Conselho Comunitário de Segurança.

Além disso, o município apresenta ações positivas como a descentralização dos equipamentos públicos, o investimento na gestão participativa e o alto número de instituições da sociedade civil organizada na região, que contribuem imensamente para a o desenvolvimento local e a redução da violência.

Mapeamento da segurança

O relatório aponta que a segurança é uma das principais preocupações da população, apesar de o mapeamento das ocorrências policiais ter constatado queda na violência no município. Entre 2001 e 2008, houve redução de 44% no índice de homicídios; 26% no total de roubos e 20,2% nas ocorrências de furtos. Por outro lado, houve grande aumento do número de notificações de violência doméstica – 277% de 2007 para 2008 -, o que leva a crer que houve maior conscientização das mulheres sobre seus direitos.

Uma das conclusões do diagnóstico é que Suzano já criou os principais órgãos necessários e vem reformulando outros, para o desenvolvimento de uma política municipal de segurança com ênfase na prevenção da violência. Além disso, foi verificado um grande esforço por parte da Prefeitura, no sentido de aproximar o poder público da comunidade e envolvê-la na formulação das políticas. Um exemplo é o Manifesto de Cultura de Paz, movimento que visa co-responsabilizar a população na busca por atitudes mais conscientes e pacíficas.

Metodologia

O estudo foi realizado pelo Instituto Sou da Paz e pelo Instituto Papel Solidário, parceiros da Fundação Telefônica no projeto Ação na Linha. O diagnóstico se propunha a identificar os programas com potencial de prevenção da violência e apontar um plano de intervenção com ações a serem desenvolvidas no combate aos problemas detectados. A ideia seria poder complementar o Plano Municipal de Segurança da cidade.

A metodologia aplicada foi a participativa, na qual os atores envolvidos foram sensibilizados para a segurança pública e prevenção da violência. Também foram coletados dados de fontes diversas, tanto quantitativos, como índices demográficos e territoriais, como qualitativos, através de realização de visitas, entrevistas, grupos de escuta e aplicação de questionários.

Foram envolvidas secretarias municipais (Assistência Social, Saúde, Educação, Esportes e Cultura, entre outras), órgãos de segurança municipal e estadual, conselhos, escolas e instituições sociais. Sobre o furto de cabos de cobre, o Instituto Papel Solidário traçou, especialmente, um perfil da cadeia que pode envolver o crime, como o segmento de sucateiros, catadores e ferros-velhos.

Também foram levantados aspectos relacionados ao atendimento a jovens que cumprem medidas socioeducativas em meio aberto; os tipos de violência praticados nas escolas; a disponibilidade de equipamentos públicos para lazer e capacitação profissional; como ocorre o atendimento a usuários de drogas e álcool, entre outros. E foram assinalados alguns desafios, como a necessidade de ampliação de parcerias com empresas e fundações para a expansão de atividades culturais em bairros mais vulneráveis.

Sobre o Ação na Linha

O projeto Ação na Linha, cujo objetivo é o desenvolvimento comunitário, já acontece em Itaquaquecetuba desde o início de março de 2008. Ali, a iniciativa contempla capacitações para professores, formação para lideranças sociais voltada à promoção e à defesa dos direitos das crianças e adolescentes e a programas de geração de renda, cursos para formação profissional, eventos culturais e diversas mobilizações.

Sobre a Fundação Telefônica

A Fundação Telefônica gerencia a maior parte da Ação Social e Cultural do Grupo Telefônica no mundo, demonstrando o compromisso da empresa com as sociedades junto às quais atua. A instituição está presente na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, México, Peru, Equador e Venezuela e também desenvolve programas junto a operadoras locais da Telefônica no em El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá e Uruguai. No Brasil, foi criada em 1999 e atua para o desenvolvimento social, através da consolidação dos direitos das crianças e dos adolescentes. Desde o início de sua atuação, mais de 500 mil pessoas já foram beneficiadas direta ou indiretamente pelos projetos que desenvolve, por meio dos programas EducaRede, Pró-Menino, Arte e Tecnologia e Voluntários Telefônica.

mais notícias

Publicado em 19 de março de 2010

2 Comentários »

Tags: , ,

Voluntariado

Dia Mundial da Água – Planeta pede socorro!

 

Este 22 de março, Dia Mundial da Água, pede reflexão urgente, pois é certo que o planeta não possui água suficiente para atender ao consumo irracional que vem sendo feito. Em diversos lugares do mundo, a população já sofre há anos com a falta desse bem essencial à vida. Na África, por exemplo, a falta de água potável e de saneamento básico provocam a morte de uma criança a cada 15 segundos. Segundo a Cruz Vermelha, mais de um milhão de pessoas no mundo não têm acesso a água potável e cerca de 2,6 milhões (40% da população mundial) não dispõe de serviços de saneamento básico.

 

No Brasil, o uso deste recurso natural ainda é feito em abundância: gasta-se cerca de cinco vezes mais água do que o necessário. O consumo do brasileiro é de cerca de 200 litros por dia, sendo que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda gastos de 40 litros diários por pessoa.

 

O país é privilegiado por deter 11,6% de toda a água doce do planeta, mas nem por isso é justificável seu desperdício. Pesquisa feita pela Agência Nacional de Águas (ANA), mostra que a demanda de água nas regiões metropolitanas é maior que a produção atual dos recursos.

 

Ser Voluntário Telefônica também é colaborar neste sentido. Pequenas mudanças no cotidiano podem contribuir para evitar o desperdício – e você pode começar a colaborar agora mesmo. Diminuir o tempo do banho, fechar a torneira enquanto escova os dentes ou lava a louça, reaproveitar a água da máquina de lavar roupas para lavar o quintal, são algumas ações que certamente ajudarão na preservação do planeta.

 

As empresas também devem implementar medidas de reuso da água, colaborando com o meio ambiente. O uso racional de água tem que ser visto como fator urgente e prioritário. Pense nisso!

 

 Por Lucy De Miguel  |  Vetor Comunicação

mais notícias

Publicado em 19 de março de 2010

2 Comentários »

Tags: ,

Arte e Tecnologia, Fundação Telefônica

Fundação Telefônica abre Núcleo de Memória para pesquisadores

O acervo do Núcleo de Memória Telefônica, que é gerido pela Fundação Telefônica, estará disponível para pesquisadores a partir de março. O agendamento pode começar a ser feito a partir de agora, por meio do site da instituição (www.fundacaotelefonica.org.br). O Núcleo de Memória fica no Centro de São Paulo e funciona em horário comercial. O acesso é gratuito.

O Núcleo disponibiliza para consulta de pesquisadores coleções de listas telefônicas da cidade de São Paulo desde a década de 1920 até 2008; listas diversas de outras localidades de vários Estados brasileiros; coleção da revista Sino Azul – veículo de comunicação da antiga CTB – de 1928 a 1975; coleção da revista Entrelinhas – veículo da Telesp – de 1973 a 1997; além de um banco com aproximadamente seis mil fotos que contam a história das telecomunicações e retratam o desenvolvimento de diferentes regiões do Estado de São Paulo ao longo do século XX.

O banco de fotos está totalmente digitalizado e a cessão dos arquivos para reprodução é gratuita. O material do acervo não pode ser retirado, mas é permitido que seja fotografado, com máquina própria. A pesquisa dos interessados será acompanhada por pessoa especializada.

Sobre a Fundação Telefônica

A Fundação Telefônica gerencia a maior parte da Ação Social e Cultural do Grupo Telefônica no mundo, demonstrando o compromisso da empresa com as sociedades junto às quais atua. A instituição está presente na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, México, Peru e Venezuela e também desenvolve programas junto a operadoras locais da Telefônica no Equador, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá e Uruguai. No Brasil, foi criada em 1999 e atua para o desenvolvimento social, através da consolidação dos direitos das crianças e dos adolescentes. Desde o início de sua atuação, mais de 500 mil pessoas já foram beneficiadas direta ou indiretamente pelos projetos que desenvolve, por meio dos programas EducaRede,  Pró-Menino, Arte e Tecnologia e Voluntários Telefônica.

mais notícias
Arte e Tecnologia, Fundação Telefônica

FUNDAÇÃO TELEFÔNICA E FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO (FAAP) apresentam “Tão longe, tão perto” As Telecomunicações e a Sociedade

Refletir sobre o passado e apontar as possibilidades do futuro das telecomunicações é a proposta de “Tão longe, tão perto” – As Telecomunicações e a Sociedade, exposição organizada pela Fundação Telefônica, com curadoria do físico e professor da Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, Peter Schulz. A mostra, que acontece entre 21 de março e 23 de maio no Museu de Arte Brasileira da FAAP, em São Paulo, possibilitará abrir para o público paulista, pela primeira vez, o acervo do Núcleo Memória Telefônica e, ao mesmo tempo, estimular o visitante a expressar suas expectativas em relação às telecomunicações e como estas podem contribuir para melhorar sua vida no futuro.

 O “futuro do passado” e o “futuro contemporâneo”, visões do futuro ontem e hoje, pontuam as bases conceituais da mostra.  Assim, a exposição revela como as invenções muitas vezes aconteceram bem antes de sua concretização na sociedade, e como alguns experimentos antigos abriram caminhos para as novas tecnologias. Também revela como o presente já está construindo o futuro das descobertas científicas, que serão assimiladas ou não, conforme os anseios sociais – comportamental e econômico – de cada época.

A exposição parte da primordial voz humana e avança até as principais inovações tecnológicas que promoveram o encurtamento das distâncias geográficas e, ainda hoje, redefinem relacionamentos sociais e estruturas urbanas. A interatividade do visitante com experimentos científicos, equipamentos, aparelhos e um fórum central que prevê a sua manifestação quanto ao futuro das tecnologias são questões relevantes da abordagem curatorial, que trata ainda dos três pilares da comunicação: o conceito de rede, a convergência tecnológica e a inovação.

Entre aparelhos, centrais telefônicas, as primeiras listas, fotos de época e documentos históricos, serão exibidas cerca de 100 peças, que ajudam a compor o painel da evolução da telefonia e das diferentes formas de comunicação das sociedades. “É uma grande oportunidade para o público conhecer um pouco mais da história das telecomunicações no país e refletir sobre como a evolução tecnológica nesta área poderá influenciar a vida no futuro”, afirma Antonio Carlos Valente, presidente do Grupo Telefônica no Brasil. “Nosso objetivo é que a exposição promova um debate com a sociedade sobre o impacto das telecomunicações no seu dia a dia”, afirma Sérgio Mindlin, diretor-presidente da Fundação Telefônica.

Com coordenação geral da Expomus e apoio da Lei de Incentivo à Cultura, “Tão longe, tão perto” já passou pelo Museu da República, em Brasília, de agosto a outubro de 2009.

Uma viagem pelo universo das comunicações

Composta por núcleos temáticos, a exposição começa pela Linha do Tempo, que perpassa toda a mostra. Ela resgata a época em que a fala era um dos poucos instrumentos do homem para estabelecer vínculos sociais, passa pelos primeiros códigos sonoros e visuais, como o uso de tambores e sinais de fumaça.
 
Para vencer rapidamente longos caminhos e receber e enviar mensagens ao mesmo tempo, novos veículos tornaram-se essenciais. Assim, surgiram o telégrafo óptico, o elétrico e o fax, que foi patenteado em 1843. A invenção do telefone, creditada ao italiano Antonio Meucci, em 1860, e registrada por Graham Bell 16 anos depois, revolucionou a comunicação e foi o ponto de partida para novos desenhos da estrutura social e urbana. A expansão das redes de telefonia, o surgimento do rádio, microondas, satélites, fibra ótica, celular, internet, todas essas inovações possibilitaram as conexões humanas, cada vez mais rápidas, eficientes, econômicas e presenciais.
 
No Núcleo Arte e Cultura Popular, o visitante poderá constatar por meio de vídeos, áudios e documentos, entre outros meios de comunicação, como as culturas são influenciadas pelas inovações tecnológicas, gerando diferentes manifestações estéticas na música, na poesia, na literatura, nas artes visuais. O núcleo terá um projeto de net-arte, especialmente criado para a mostra, pelos artistas Giselle Beiguelman e Rafael Marchetti. Denominado Tele_bits 2.0, trata-se de um ensaio visual dinâmico e on-line sobre a relação das telecomunicações com o cotidiano, mediado pela ação do público.

O Núcleo Ciência e Tecnologia ressalta que todos os inventos tecnológicos são de autoria coletiva. Nele, o público conhecerá experimentos simples, que podem ser facilmente reproduzidos e que demonstram princípios básicos da comunicação, como funcionam um microfone e um autofalante, por exemplo. A ideia é mostrar ao visitante de que forma dados e voz atravessam grandes distâncias. No Núcleo Comunicação e Educação, serão lembradas as profissões que surgiram com as novas tecnologias e as que virão por aí, além da retomada da importância da educação à distância e suas possibilidades.

O centro da exposição é um Fórum no qual o visitante pode expressar suas considerações sobre o futuro das telecomunicações e seu impacto na sociedade, escrevendo sobre uma mesa touchscreen, de próprio punho, uma mensagem que será projetada ao lado de frases de grandes pensadores.     
 
Haverá ainda o Espaço Educativo, onde educadores coordenarão brincadeiras e oficinas que destacam princípios da comunicação. O projeto educativo, que oferecerá visitas orientadas e temáticas sob agendamento, distribuirá materiais para alunos e professores e estará preparado para o atendimento a públicos especiais.

A visita se encerra no Espaço da Fundação Telefônica, uma área que apresenta a instituição através de seus projetos e programas.

Destaques do Acervo

A Fundação Telefônica é responsável pela manutenção e divulgação de um grande acervo histórico da telefonia no Brasil. Em “Tão longe, tão perto”, cria a oportunidade de apresentar parte desse conjunto ao público.
 
Entre os aparelhos telefônicos, destaque para o “Ericsson de parede”, de 1884, um dos primeiros modelos a chegar ao Brasil em escala comercial; ou o “Pé de Ferro”, de 1892, pioneiro por permitir que se falasse e ouvisse numa mesma peça. Há ainda um fax utilizado em 1950, um videofone da década de 70 e um dos primeiros modelos de celular, fabricado nos anos 90.  Também estarão no museu uma mesa operadora com mais de 100 anos, a Central Automática Passo a Passo Strowger, conhecida como “Velha Senhora”, de 1928, que ainda funciona.
 
Entre os documentos históricos, uma seleção de revistas Sino Azul, uma pioneira publicação institucional da extinta Companhia Telefônica Brasileira (CTB), precursora da Telesp, que circulou de 1928 a 1989; reproduções de patentes de algumas das principais invenções tecnológicas; uma lista telefônica de 1911 de São Paulo, além de fotos históricas que registraram a rotina de trabalho de funcionários da CTB.

O curador

Estreando na função de curador, Peter Alexander Bleinroth Schulz é doutor em Ciências pela Unicamp e pela Universidad Autônoma de Madrid. Atua como professor de graduação e pós-graduação em Física e é pesquisador na área de Física da Matéria Condensada. Teve diversos artigos publicados e acaba de lançar o seu primeiro livro, “A Encruzilhada da Nanotecnologia: Inovação, Tecnologia e Riscos”.

Sobre a Fundação Telefônica

A Fundação Telefônica gerencia a maior parte da Ação Social e Cultural do Grupo Telefônica no mundo, demonstrando o compromisso da empresa com as sociedades junto às quais atua. A instituição está presente na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, México, Peru, Equador e Venezuela e também desenvolve programas junto a operadoras locais da Telefônica em El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá e Uruguai. No Brasil, foi criada em 1999 e atua para o desenvolvimento social, através da consolidação dos direitos das crianças e dos adolescentes. Desde o início de sua atuação, mais de 500 mil pessoas já foram beneficiadas direta ou indiretamente pelos projetos que desenvolve, por meio dos programas EducaRede,  Pró-Menino, Arte & Tecnologia e Voluntários Telefônica.

Exposição “Tão Longe, Tão Perto”
Local: Museu de Arte Brasileira FAAP
Endereço: Rua Alagoas, 903 – Higienópolis – São Paulo
Fone: (11) 3662-7000
Abertura: 21 de março – até 23 de maio de 2010
Horários: terça a sexta-feira, das 10h às 20h ; sábados, domingos e feriados, das 13h às 17h.
Informações: www.taolongetaoperto.org.br
Visitas orientadas: (11) 3662-7200
Entrada franca
Acesso e atendimento a portadores de necessidades especiais

Assessoria de imprensa em São Paulo:
Pool de Comunicação
Marcy Junqueira, Martim Pelisson e Douglas Coelho
Tel. (11) 3032-1599/ marcy @pooldecomunicacao.com.br; martim@pooldecomunicacao.com.br;
douglas@pooldecomunicacao.com.br
 
Assessoria de imprensa Fundação Telefônica:
Marli Romanini Tel. (11) 3040-2390
marli.romanini@bm.com

Assessoria de imprensa FAAP:
Anamaria Lattes Tel. 11 3297.2593
analattes@uol.com.br

mais notícias
EducaRede

Professores e alunos de todo o mundo poderão participar do Concurso Internacional EducaRede

A partir de 8 de março, a Fundação Telefônica abre inscrições para o Concurso Internacional EducaRede, destinado a alunos e professores da educação infantil ao ensino médio, ou o equivalente em qualquer parte do mundo. Trata-se de uma iniciativa orientada a fomentar o trabalho em equipe, com o objetivo de promover o uso pedagógico das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), reconhecendo o esforço do professorado em introduzi-las nos processos de ensino-aprendizagem.

 

O certame já está em sua 11ª edição na Espanha, mas a partir deste ano será realizado em nível internacional, coincidindo com as novas tendências apontadas pelo EducaRede, o programa educativo da Fundação Telefônica,  que recentemente estreou um novo portal global na Internet. O portal EducaRede utiliza as mais novas tecnologias da web 2.0 e é dirigido a todos os membros da comunidade educativa dos países em que está presente na Europa e América Latina, inclusive Brasil.

 

Para participar do concurso, os alunos devem formar equipes e, com a ajuda de um professor ou mais, realizar trabalhos multimídia relacionados com as matérias do currículo escolar de seu país. Os professores podem ser responsáveis por até 10 grupos, mas apenas um atuará como coordenador, instrutor e supervisor do projeto. Esse professor deverá atualizar, periodicamente, o Diário do Projeto, dentro do site do concurso, descrevendo as atividades realizadas em sala de aula, bem como as propostas de melhorias e soluções. Ele será a única interface com a organização.

 

Existem quatro modalidades de participação: Web, constituída de trabalhos em formato web, através da simples ferramenta de criação; Blog, trabalhos elaborados mediante o uso dessa ferramenta; Wiki, trabalhos que representem a criação de conteúdo de forma compartilhada e colaborativa; e a categoria Experiências Didáticas, destinada estritamente a professores, que poderão apresentar experiência na qual estejam utilizando, ou tenham utilizado, as TICs como veículo para o ensino de conteúdos curriculares.

 

Também foram definidas cinco categorias de participação, de acordo com a faixa etária, assim divididas: de 3 a 5 anos; de 6 a 8 anos; de 9 a 11; de 12 a 14 e de 15 a17 anos. Um júri internacional outorgará três prêmios para cada categoria e modalidade, que consistem em diferentes aparelhos tecnológicos de uso educativo. Os resultados serão divulgados no final de junho.

 

Todas as informações sobre o concurso, bem como sobre a realização das inscrições e dos prazos de entrega dos trabalhos podem ser consultadas no www.educared.org/certameninternacional.

Sobre a Fundação Telefônica

A Fundação Telefônica gerencia a maior parte da Ação Social e Cultural do Grupo Telefônica no mundo, demonstrando o compromisso da empresa com as sociedades junto às quais atua. A instituição está presente na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, México, Peru, Equador e Venezuela e também desenvolve programas junto a operadoras locais da Telefônica em El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá e Uruguai. No Brasil, foi criada em 1999 e atua para o desenvolvimento social, através da consolidação dos direitos das crianças e dos adolescentes. Desde o início de sua atuação, mais de 500 mil pessoas já foram beneficiadas direta ou indiretamente pelos projetos que desenvolve, por meio dos programas EducaRede,  Pró-Menino, Arte e Tecnologia e Voluntários Telefônica.

mais notícias